08:30

CRIANÇAS IMPERATIVAS COMO FAZER UM TRABALHO COM ELAS?

As crianças hiperativas, sõa um caso em que um conjunto de profissionais devem ser requisitados. Psicopedagogos, pedagogos, psicologos especializados em TDAH, Neuro-psiquiatra.
Tratamento mais indicado
A pessoa com TDAH precisa aprender a conviver com este transtorno, fazendo as acomodações necessárias ao longo da vida. Por isso a grande importância de um diagnóstico correto precoce, que possibilite à criança ter um atendimento adequado o mais cedo possível. Atualmente a maneira mais eficiente de tratar o TDAH é adotando um procedimento multidisciplinar, isto é, coordenando um trabalho que envolva pais e profissionais das áreas médica, de saúde mental e pedagógica. Isso significa, em primeiro lugar, um conhecimento real quanto à natureza do TDAH, em desenvolver estratégias próprias na administração do comportamento na casa e na escola, em um programa pedagógico adequado, em terapia individual ou familiar, segundo o caso, e, se necessário, o uso de medicamento indicado por neurologistas, que podem utilizar-se de técnicas modernas para avaliar a função cerebral, por meio de exames de neuroimagem e testes neurológicos.

Algumas características muito comuns entre as crianças que apresentam esses transtornos, como a alta carga emocional e de energia colocada em suas ações, e espontaneidade e a criatividade, podem representar vantagens em ambientes que requerem menor estruturação, como por exemplo, no meio artístico.

Medicamento: quando utilizar?
Uma grande polêmica em torno do uso do medicamento Ritalina foi anunciada nos Estados Unidos, em 2001, por Hillary Clinton, que manifestou preocupação com relação ao uso abusivo do medicamento em crianças menores de 4 anos. A Ritalina é um estimulante que atua no córtex cerebral e que inibe áreas responsáveis pela agitação. A conseqüência disso é que, pela rapidez com que atua, proporciona uma melhora no comportamento, na capacidade de concentração e facilita o aprendizado. Contudo, a indicação de uma medicação deve sempre levar em conta os riscos e benefícios, portanto somente deve ser prescrita quando bem indicada, e segundo a ética médica do profissional.

Algumas dicas para os pais
Ensinar seus filhos a pensar no impacto que seu comportamento tem sobre eles mesmos e os outros. Convidá-los a pensar em possíveis soluções. Esse processo é parte de como ensinar crianças a tomar decisões mais acertadas.
Falar demais é o erro mais comum cometido pelos pais. Cutucar, lembrar, repetir ordens e falar mais de uma vez para fazer isto, não fazer aquilo cria ressentimento tanto nos pais quanto nos filhos. A correção é uma arte útil que convida à cooperação.
Quando um problema de comportamento acontece, confrontar a criança é uma importante e poderosa ação e deve ser usada para aumentar a harmonia familiar. Corrigir sem criticar é um aspecto importante para a orientação eficiente da criança. Fortalece o amor do filho pelos pais e aumenta a sensação de segurança emocional no relacionamento.

A visão Homeopática do TDAH
O Dr. Antônio Carlos Silveira Rezende é pediatra homeopata, orientador de Ensino da Fundação de Estudos Médicos Homeopáticos do Paraná-Curitiba desde 1987, autor do livro "Pediatria Sob Visão Homeopática".

Após ler um artigo publicado na revista Veja, em 1994, em que aparecia a concentração de crianças hiperativas, com déficit de atenção, com resultados terapêuticos pouco satisfatórios, intensifiquei a análise das informações que tinha dos meus pacientes nas mesmas condições e observei que estavam apresentando melhoras significativas com o tratamento homeopático. Investi na minha pesquisa e atualmente estou desenvolvendo uma dissertação de mestrado sobre o tratamento homeopático em crianças hiperativas.

Para recorrer ao tratamento, os pais devem estar atentos ao comportamento de seus filhos. O sinal mais importante é a dificuldade que a criança tem de manter-se parada (casa, escola, clube, igreja, parques, dormindo, vendo TV etc). Os sintomas são mais comuns entre meninos do que em meninas (5:1).

Em minha dissertação de mestrado, farei um questionamento da possibilidade de utilizar os medicamentos homeopáticos que possuem características semelhantes às que definem hiperatividade, bem como os sinais raros, peculiares e característicos dessas crianças, com a finalidade de produzir um equilíbrio geral nas mesmas, pois, na visão homeopática, a hiperatividade seria uma manifestação do desequilíbrio do ser.

É evidente que, em se tratando de crianças com essas alterações no comportamento, utilizo também os Critérios de Diagnóstico das Crianças Difíceis, inclusive para poder diferenciar inquietude em crianças de crianças hiperativas.

0 comentários:

Postar um comentário